Jac Motors anuncia fábrica em Goiás

A JAC Motors anunciou nesta segunda-feira (18) que vai construir uma fábrica em Goiás, com início de operação em 24 meses — no fim de 2019. É o que promete (pela terceira vez) Sergio Habib, presidente da JAC do Brasil. O executivo apresentou um protocolo de intenções ao governador do estado, Marconi Perillo, onde detalha todo o projeto, que receberá um investimento de R$ 200 milhões para produzir até 35 mil carros por ano.

O local ainda não foi definido e especula-se que será em Itumbiara, na antiga unidade usada pela Suzuki para produzir o jipinho Jimny — hoje montado pelo grupo HPE em Catalão. Segundo Habib, a fábrica vai gerar 820 empregos diretos e indiretos, e será dedicada a SUVs. Um deles é o T40, lançado neste ano para ser o utilitário de entrada da marca no segmento. Além dele, haverá outro SUV inédito ainda sob sigilo.

“Nós jamais deixamos de trabalhar para a implantação de nossa fábrica no Brasil, tanto que uma fração do investimento total vem sendo aplicada no desenvolvimento dos modelos e nossos entendimentos com o MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) têm sido frequentes”, explica Habib. “Para 2018, devemos dobrar o volume de 2017, chegando a 8 mil unidades”, garante o executivo.

Com o lançamento do T40, os negócios da JAC Motors voltaram a crescer nos últimos meses de 2017 — a marca informa um incremento de 40% nas vendas. A boa fase, contudo, não apaga as promessas do passado. Da última vez que falou em fábrica, o plano da montadora era construir uma fábrica na Bahia para produzir até 25 mil carros/ano. Habib projetava ligar as máquinas no início de 2019 com o T40, que foi desenhado entre 2011 e 2012 a pedido do empresário.

Esta, aliás, é a terceira promessa de fábrica feita por Habib. Inicialmente, a JAC prometeu erguer uma fábrica em Camaçari (Bahia) com capacidade para produzir 110 mil carros/ano. Seriam aplicados R$ 900 milhões e a unidade estaria operando no fim de 2014. Só que as obras não avançaram no prazo estabelecido e, em setembro de 2014, a chinesa acabou suspensa do Inovar Auto. O descredenciamento do programa ocorreu em junho de 2016, mas a JAC entrou com recurso e a decisão final não foi julgada.

Com a prometida fábrica em Goiás, a JAC esperava reverter a situação junto ao governo, que pode lhe render multa milionária (cerca de R$ 180 milhões). Enquanto o tempo passa, aproxima-se o fim do Inova-Auto, que se encerra em 31 de dezembro. Habib aproveitou o comunicado para lembrar que, em 2017, a marca vem sofrendo com a limitação imposta pelas cotas do programa. “Voltaremos a vender em 2018 o que tivermos competência para vender, não aquilo que a lei impõe como limite”, disse Habib ao governador.

Você também poderá gostar...